Capim Seco

Vista em listaVista em gradeVista detalhada
MG, Brasil
Em disco de estréia, o Capim Seco revela uma sonoridade fértil concebida com arranjos
sofisticados. O samba é o eixo condutor do álbum, em torno do qual giram o baião, a ciranda,
a poesia, o congado mineiro, o jazz e até certa atitude rock and roll.

“Semba é uma palavra de origem bantu, ramo linguístico africano trazido para o Brasil com a
escravidão, é a dança de umbigada, o batuque de roda do encontro. Esse título simboliza para
nós a antropofagia cultural brasileira, o desejo da troca, a confluência dos gêneros que nos
influenciam”, explica Michelle Andreazzi, cantora do grupo.

“Semba também é uma célula rítmica presente em muitos estilos musicais, como o samba, o
baião, e grande parte dos ritmos de origem africana” revela Gabriel Goulart, diretor musical do
CD e violonista do grupo.

Originalmente formado em trio, o Capim Seco surgiu em 2003 e tocava releituras de nomes da
MPB, como Edu Lobo. A noite belo-horizontina aos poucos deu lugar às apresentações em
grandes festivais como o Conexão Vivo e a Virada Cultural Paulista. Hoje o septeto é formado
por Gabriel Goulart (violão de 7), Luiz Lobo (bateria), Tiago Ramos (sax), Fábio Martins
(percussão), Alberto Magno (baixo), Juventino Dias (trompete) e Michelle Andreazzi (voz).

Semba

Quem abre os caminhos para o álbum é o “Samba de Eleguá”, música de Nei Lopes. Onde a
banda denota sua força de conjunto. A faixa seguinte é o samba de roda “Mãe do Céu Dona do
Mar”, seguida pelo poema “À Margem” de autoria de Michelle Andreazzi.

A sutileza do grupo é percebida na ciranda lírica “Casa de Julieta” que faz referência as bandas
do interior de Minas e na congada poética “Elisa no Paraíso” canções também de autoria da
cantora.

A direção musical do disco foi assinada por Gabriel Goulart e Flávio Henrique que consagraram
essa parceria na composição da faixa “A Força dos Elementos”. Flávio também emprestou sua
sofisticação a alguns pianos do álbum como no belo samba nostálgico “Sofre Mas Não Volta
Atrás”.

“Casa de Nego” de Gabriel Goulart, Dé Lucas e Heleno Augusto, aproxima o Capim Seco da
energia religiosa que metaboliza o samba. A faixa conta com a participação especial das
“vozes” de Sérgio Pererê.

Patrocínio

Realização

Apoio

O samba “Terra de Valente” de Gabriel Goulart faz referências aos mestres de Catopé,
Marujada e Folia de Reis de Milho Verde-MG, povoado que sempre acolheu o grupo.

“Um presente!" Assim o grupo define a faixa “Santos e Luz” (Mestre Jonas, Miguel dos Anjos e
Mário Ferreira). A música foi apresentada por Mestre Jonas à banda em 2008, no “Abriu a
Roda”, projeto onde o Capim Seco recebia os novos compositores da música mineira.

A canção “Filho de Pemba” é uma parceria de Michelle Andreazzi, Gabriel Goulart e Luiz Lobo.
Um samba em três, fundido à viola caipira de Marcelo Issa.

A faixa-título é um baião moderno, que em meio à profusão do naipe de metais aproxima as
culturas de Pernambuco e Minas Gerais. Essa aproximação cultural está expressa também nas
ilustrações do álbum, criada pela artista pernambucana Rosinha Campos.
Capim Seco
Álbuns (0)
Músicas (0)

Compartilhe!

Bookmark and Share
Comentários (0)Add Comment

Escreva seu comentário
diminuir aumentar

security code
Escreva os caracteres mostrados


busy
Acessos 2710